O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, disse na noite desta quinta-feira que três pessoas morreram no país por complicações do vírus zika, sem dar mais detalhes. O país tem 316 casos confirmados da doença. No entanto, 68 pacientes estão em estado grave e recebem tratamento intensivo.

Em seu programa no canal de TV estatal, Maduro disse que a Venezuela contabiliza mais 5.200 casos suspeitos de zika e que medicamentos para tratar a doença estão garantidos com o apoio da Índia, Cuba, China, Irã e Brasil.Ele ainda explicou que “o calor extremo em consequência do El Niño, tem espalhado o vírus pelo país” e medidas extremas de combate foram adotadas. O zika se espalhou rapidamente pelos países da América Central e América do Sul, sendo o Brasil o mais afetado, com também três mortes relacionadas ao vírus.

Na sexta-feira, o ministro da Saúde colombiano Alejandro Gaviria confirmou a morte de três pessoas causada pela síndrome de Guillain-Barré. Segundo o governo, as vítimas desenvolveram o distúrbio neurológico após o contágio do vírus zika.

O ministro disse que, além da possibilidade da relação entre o vírus a microcefalia, a síndrome passa a ser agora uma “grande preocupação”.

— Quando falamos de mortalidade por zika, o que mais nos preocupa é a associação à síndrome de Guillain-Barré — disse o ministro.

Fonte: O Globo.